Presidenciáveis enxergam na construção civil possibilidade de o País expandir o emprego


Os presidenciáveis Simone Tebet (MDB), Ciro Gomes (PDT) e o presidente da República, Jair Bolsonaro, apresentaram ao setor produtivo nacional, nesta quarta-feira, 29, ideias e visões para promover o avanço da indústria nacional e o crescimento econômico e social do país. O Diálogo da Indústria com os Pré-Candidatos à Presidência da República, organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília, contou com a participação do presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins.


O presidenciável Ciro Gomes afirmou que “na construção civil está a única possibilidade de o Brasil ter, com a urgência necessária, um esforço explosivo de empregos”.


A pré-candidata Simone Tebet destacou importância de uma política industrial coordenada e da atuação do setor produtivo para retomada do crescimento econômico. Se eleita, prometeu que a reforma tributária sobre o consumo será aprovada pelo Congresso Nacional nos seis primeiros meses de governo para enfrentar o Custo Brasil. A senadora também abordou questões relacionadas à Política industrial e inovação, Meio ambiente e sustentabilidade, Educação e Crescimento e emprego.


Infraestrutura


Sobre Infraestrutura, Simone Tebet defendeu a continuidade do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) para melhorar a infraestrutura do país. De acordo com a senadora, há 23 projetos prioritários em ferrovias que podem colocar R$ 100 bilhões em investimentos. “O Estado necessário é aquele que presta saúde, educação segurança pública, habitação de qualidade e deixa a iniciativa privada como parceira, através de um amplo plano de investimentos em logística com regras claras, transparentes e fáceis de serem executadas para que possamos transformar esse Brasil num grande parque de obras públicas e de geração efetiva de dinheiro e renda”, disse.


Martins, antes de direcionar a pergunta sobre infraestrutura ao ex-ministro Ciro Gomes, ressaltou que a construção civil é responsável por 5,9% dos empregos do País, conforme dados divulgados no dia 28 de junho pelo Novo Caged. Em 2022, o setor foi responsável por mais de 15% dos empregos gerados, ou seja, três vezes mais a participação da construção civil estoque. No entanto, o dirigente mencionou que, nos cinco primeiros meses de 2022, o segmento de Infraestrutura contratou 37% a menos do que no mesmo período do ano passado.


“Como aumentar efetivamente o investimento no Brasil em infraestrutura, principalmente no setor público, que nos últimos anos foi relegado a segundo plano?”, questionou Martins.


Ao fazer críticas à infraestrutura do país, o pré-candidato salientou que o Brasil tem cerca de 14 mil obras públicas iniciadas e paralisadas, que já passaram pelo processo de licitação e de licenciamento ambiental, e podem imediatamente gerar empregos e ter efeito econômico e de produtividade em curto prazo.


“A Transnordestina, quando estávamos avançando um quilômetro por dia, ela empregava 3 mil pessoas. Quando essa ferrovia estiver pronta e conectar esse fundão da produção com o Porto de Pecém e com o Porto de Suape, vamos explodir em riqueza e potencial”, disse.


Já o presidente Bolsonaro salientou a intenção em ampliar investimentos em infraestrutura e mencionou medidas que, segundo ele, propiciaram avanços na área de infraestrutura. O também candidato mencionou ainda a aprovação do marco legal do saneamento e das ferrovias. Ressaltou ainda que o país tem enorme potencial na área de energia e que pode ampliar a oferta de energia eólica, com possibilidade de exploração em alto-mar.


Além disso, Bolsonaro comentou assuntos relacionados à Segurança jurídica, Desburocratização e Normas trabalhistas. Neste caso, destacou que as normas regulamentadoras de saúde e segurança do trabalho (NRs) passam por processo de simplificação, desburocratização e harmonização durante o seu governo. Caso reeleito, o presidente afirmou que criará o Ministério da Indústria e Comércio e que avalia uma desoneração para empresas com o objetivo de estimular a criação de empregos.


Fonte: https://cbic.org.br/presidenciaveis-enxergam-na-construcao-civil-possibilidade-de-o-pais-expandir-o-emprego/?utm_campaign=cbic_hoje_29062022&utm_medium=email&utm_source=RD+Station