top of page

Emprego na indústria: logística, construção civil, vestuário e energia vão abrir 540 mil vagas

Estimativa é para até 2025. Empregos nesses setores vão exigir novos conhecimentos dos trabalhadores nos próximos dois anos. Com curso técnico ou de qualificação, profissionais podem ganhar até R$ 6,6 mil


Até 2025, as áreas de logística, construção civil, vestuário e energia devem abrir 540 mil novas vagas no país. A maioria dos postos de trabalho (95%) são do nível de qualificação e técnico, que exigem uma formação prática e mais curta, com seis meses a dois anos de duração. Além do alto potencial de inserção no mercado de trabalho, esses setores têm um salário médio que varia de R$ 1.800 a R$ 6.600.

As projeções são do Observatório Nacional da Indústria (ONI), núcleo de inteligência e análise de dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O gerente-executivo do ONI, Marcio Guerra, ressalta que os quatro segmentos são estratégicos para o país.

 

“São setores dinâmicos, que tiveram uma rápida recuperação pós-Covid, respondem por um grande volume de vagas, são vetores da descarbonização da economia e altamente impactados pela digitalização dos processos produtivos”, justifica Guerra.

 

Profissionais que já atuam nesses setores vão precisar se atualizar


O alerta não é só para quem está em busca de emprego ou está indeciso de que carreira e formação seguir. Quem já trabalha nessas áreas vai precisar se atualizar. Mais de 1,5 milhão de profissionais desses quatro segmentos terão de complementar a formação para acompanhar as mudanças decorrentes da automatização de processos.

Para chegar aos números, o Observatório Nacional da Indústria realiza projeções de emprego e analisa as tendências organizacionais e tecnológicas da indústria para os próximos anos.


Logística e transporte terão 2 milhões de trabalhadores até 2025


A área de logística e transporte é uma das que mais empregam e mais crescem na economia. Para 2025, a previsão é de 2 milhões de postos de trabalho. Sendo responsável pelo transporte, armazenagem e distribuição de produtos e mercadorias, o profissional desse setor precisa lidar com o gerenciamento inteligente de todas as etapas, das compras e estoque à entrega dos itens.

Internet das coisas (IoT), blockchain, big data, chatbots, robôs colaborativos, drones e óculos para escaneamento e controle de mercadorias são algumas das tecnologias 4.0 que estarão presentes nos armazéns e meios de transporte, estabelecendo as bases para uma logística 4.0. Os conceitos de logística verde, logística elástica e logística compartilhada também passam a ser cada vez mais colocados em prática.

Entre as novas atividades que farão parte da rotina dos trabalhadores de nível técnico estão: antecipar variações de demanda, analisar relatórios de controle operacional logístico, operar softwares gerenciais e realizar o rastreio e monitoramento dos pedidos na cadeia de suprimentos.


Profissões da construção civil lidarão com mais tecnologia


Outro setor que emprega bastante no país, a construção civil deverá somar 1,7 milhão de vagas em 2025.

As profissões que mais serão impactadas pelas tendências tecnológicas e organizacionais são: mestre de obras, desenhista técnico de edificações, tecnólogo em controle de obras e técnico em edificações. Contudo, até mesmo armadores de ferro, gesseiros e pedreiros de alvenaria precisarão se adaptar.

Isso porque tem se difundido no segmento o uso de: estruturas pré-fabricadas/moldadas, processos construtivos mecanizados/automatizados, construção enxuta (lean construction), tecnologia de realidade aumentada, sistemas de automação residencial e drones para monitoramento das obras. A internet das coisas, por exemplo, é capaz de reunir informações detalhadas do que acontece no canteiro de obras em tempo real para automatizar processos como pedidos de novos materiais e ferramentas.


Costureiras e operadores de máquinas são os postos com mais vagas no setor de vestuário


Crescimento de setor vestuário depende de profissionais qualificados


O maior desafio para esse setor, que deve empregar mais de 600 mil pessoas em 2025, é para a ocupação com maior demanda e dificuldade de contratação pelas empresas: costureiras/operadores de máquinas. Outras profissões que também deverão se atualizar são os técnicos em modelagem, assistentes de estilo e gerentes de produção.

Por trás da escolha de uma peça de vestuário, está uma infinidade de inovações que passam despercebidas aos olhos do consumidor, como impressão 3D, design tridimensional, escaneamento corporal e fibras biossintéticas. Hoje, uma máquina utilizada por uma grande empresa de confecção costura, corta e modela peças em uma única etapa, com menor desperdício possível.


Geração de energia renovável tem tudo para crescer nos próximos anos


Apesar de responder por um volume menor de postos de trabalho – serão cerca de 140 mil em 2025 – o segmento de energia vem ganhando importância devido aos processos globais de transição energética e verde. O Brasil já tem uma matriz energética renovável e os investimentos para diversificar as fontes, ampliando o uso do sol e dos ventos, não param. Tanto a produção quanto operação e manutenção dos sistemas exigem mão de obra altamente especializada.

Novas tecnologias têm sido utilizadas em células e módulos fotovoltaicos, por exemplo, como filmes finos, silício cristalino e otimizadores de potência. As pás dos aerogeradores, que compõem os sistemas para geração de energia eólica, também estão sendo constantemente aperfeiçoadas para maior vida útil. Fibras de carbono para pás mais leves e resistentes, tecnologias de armazenamento de larga escala, torres híbridas e de concreto e tintas especiais para proteção atmosférica são algumas das novidades com as quais os profissionais terão de lidar.


Soft skills são cada vez mais importantes no mundo do trabalho


Mas não acaba por aí. Não serão somente as habilidades técnicas que serão cada vez mais demandas para os profissionais do século XXI. Para enfrentar os grandes desafios tecnológicos, organizacionais e de mercado, as empresas demandarão novas habilidades transversais (soft skill), tais como: pensamento crítico, fluência de ideias, gestão da informação e de pessoal, comunicação e julgamento e tomada de decisão.


Quer trabalhar na indústria? Estude com o SENAI


O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) é o principal parceiro da indústria na formação de trabalhadores e na inovação. Maior rede privada de educação profissional do país e uma das maiores do mundo, está presente nos 26 estados e no DF, com cerca de 2,8 milhões de matrículas/ano. Ficou interessado em desses quatro setores e quer se especializar? Acesse o Futuro.Digital, o primeiro marketplace da educação profissional.


Por: Amanda Maia

Foto: José Paulo Lacerda/CNI

Comentários


bottom of page