Construção: setor no Pará volta apresentar resultados expressivos no saldo de empregos


Crédito: Elza Fiúza/Agência Brasil

Foram divulgados na terça-feira, 28, pelo Ministério do Trabalho, os dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), referente ao mês de maio, no qual demonstrou que o setor da construção gerou em todo o Brasil 35.445 novos postos de trabalhos.


No Pará, foi registrado no quinto mês do ano um total de 7.505 novas contratações, onde apresentou aumento de 17,93% comparado a abril, que foi de 6.364. Já no número de demissões, o mês contabilizou 5.370, uma redução de 3,94% com relação ao mês anterior, que foi 5.590.


Os dados gerados pelo CAGED em maio apontaram um saldo positivo de 2.135 novos postos de trabalhos, no qual vale ressaltar que desde setembro do ano passado, que contabilizou 2.454 empregos com carteira assinada, o setor não registra um nível de empregabilidade significativo e que representa a potência que o segmento possui.


É importante frisar que desde 2015, quando o setor foi impacto pela forte crise econômica - que afetou os planos de investimento e a compra da casa própria - o estoque de empregos neste período foi de 20.546. A partir de 2016, a construção voltou a crescer, com um leve declínio em 2020, devido a pandemia de Covid-19. Atualmente, só nos cinco primeiros meses deste ano, o segmento já contabilizou o saldo de 79,050, uma evolução de 284% em oito anos.


Para o Presidente do SINDUSCON-PA, Alex Carvalho, o saldo apresentado é um reflexo da recuperação do setor, mesmo diante dos obstáculos que o segmento enfrenta, como: a alta dos materiais de construção, o desabastecimento de insumos, inflação e o aumento excessivo no valor do frete.


"É indiscutível que o nosso segmento sempre enfrentou obstáculos, que foram intensificados durante a pandemia e que ainda persistem até hoje. Porém, essas dificuldades, enfrentadas diariamente, não impedem que o setor demonstre a sua capacidade de gerar emprego e renda, além de provar a importância que a construção possui para a economia do Estado e do País”, disse o Líder Sindical Patronal.


Por Adriano Cardoso

Assessor de Comunicação Sinduscon Pará