BOLETIM ECONÔMICO - MARÇO/07

SUMÁRIO:
1. Conjuntura:
Índices de Preços registram desaceleração em fevereiro/07 em relação a janeiro/07.

2. CUB: Desaceleração  do CUB NBR 12.721/99  de -0,25% em fevereiro em relação ao aumento de janeiro (1,41%) coloca a variação do indicador regional abaixo da elevação do INCC (0,21%).

3. Nível de Atividades:
Emprego: Saldo do Emprego (Admissão-Desligamentos) no Estado do Pará cresce 16% no ano de 2006, em relação a 2005. Dados da  Construção  mostram uma queda de -479,00%

 

1. Conjuntura:Variação do IPCA do mês de fevereiro (0,44%), corresponde ao mesmo aumento do índice no mês Janeiro (0,44%)

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de fevereiro  registrou exatamente a mesma variação de 0,44% do mês de janeiro, puxado principalmente pelo grupo educação. Considerando os dois primeiros meses o IPCA apresentou uma variação de 0,88%. Nos últimos doze meses o IPCA acumula 3,02%, muito próximo a taxa de 2,99% nos últimos 12 meses imediatamente anteriores.
Em fevereiro/06 o índice registrou uma variação de 0,41%. As principais influências desse resultado correspondem as aumentos  no grupo educação com uma variação de 0,24%, que foi responsável por 55% do resultado. Nesse grupo foram aplicados  reajustes no inicio do ano letivo, que gerou aumentos nas mensalidades e nos materiais escolares. O IPCA é calculado para nove regiões metropolitanas, além de Goiânia e Brasília. Abrange famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte,  sendo o principal indicador utilizado pelo Banco Central do Brasil para acompanhar a meta de inflação.
            O INPC – apresentou uma variação de 0,42% em fevereiro ante 0,49% de janeiro.O acumulado dos dois primeiros meses do ano ficou em 0,91%, maior que o mesmo período de 2006 ( 0,61%). O acumulado em 12 meses esta em 3,12%, também acima de 2,93%, relativo aos 12 meses imediatamente anteriores.
            No INPC do mês de fevereiro  os alimentos apresentaram uma variação de 0,79%, enquanto os não alimentícios aumentaram 0,28%. O maior índice regional foi registrado em Salvador (1,53%), enquanto que o menor foi Curitiba (-0,04%).        O INPC é calculado com base nos rendimentos das famílias de 01 a 06 salários-mínimos e abrange nove regiões metropolitanas do país, além do município de Goiânia e de Brasília. 
. -------O INCC –DI, (Índice Nacional da Construção Civil) indicador da Construção, calculado pela Fundação Getulio Vargas, registrou em fevereiro uma variação de 0,21% ante variação de  0,45% em janeiro. No ano a variação foi de 0,66% superior ao mesmo periodo de 2006 ( 0,53%) Nos últimos 12 meses a variação foi de 5,18%, superior ao 12 meses imediatamente anteriores 5,15%,
            Ao três grupos componentes do índice apresentaram recuos em suas taxas. O Grupo serviços passou de 0,84% em janeiro para 0,78% em fevereiro. O índice referente ao grupo materiais desacelerou de 0,51% para 0,33%. O Grupo mão de obra na registrou variação.
            .O IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado),  elevou-se 0,27% em fevereiro, abaixo do  aumento de Janeiro (0,50%).
            Contribuíram para essa variação, as seguintes mudanças ocorridas nos componentes do IGP-M:

  1. O índice de Preços por Atacado, avançou 0,21%, taxa inferior a registrada em janeiro, de 0,40%;
  2. O índice relativo aos bens finais variou 0,21% em fevereiro. Em janeiro este grupo de produtos mostrou alta de 0,34%. Excluindo-se os subgrupos alimentos in natura e combustiveis, o primeiro com taxa de variação passando de 1,28% para 2,49% e o segundo de -0,48% para 1,63%. O índice de bens finais registrou variação de -0,32 em fevereiro, ante 0,37% em janeiro.         

            No ano a variação foi de 0,77%, inferior a variação de 0,93% registrada em igual período de 2006.  . Nos últimos 12 meses o valor acumulado foi  de 3,66%,  quase igual  a variação registrada nos 12 meses imediatamente anteriores  mesmo período do  ano anterior 3,67%.  

Tabela1 I
Índices de Preços

 

  Índices

  Variação

Ago/05

Set/05

Out/05

Nov/05

Dez/05

Jan/06

Fev/06

Mar/06

Abril/06

INCC-DI

Índices

323,382

324,164

324,782

325,703

326,915

328,042

328,651

329,320

330,501

 

Var%mês

0,02

0,24

0,19

0,28

0,37

0,34

0,19

0,20

0,36

 

Var%ano

5,69

5,94

6,15

6,45

6,84

0,34

0,53

0,74

1,10

 

Var%12m

8,88

8,52

7,45

6,99

6,84

6,41

6,14

5.64

5,26

CUB/PA

Índices

660,08

678,40

683,84

684,14

684,50

688,48

700,68

701,17

706,75

 

Var%mês

0,75

2,78

0,80

0,04

0,05

0,58

1,77

0,07

0,80

 

Var%ano

4,35

7,24

6,10

8,15

8,21

0,58

2,36

2,44

3,25

 

Var%12m

9,27

11,93

12,03

11,25

8,21

6,98

8,45

7,94

8,27

IPCA

Índices

2.485,09

2.493,79

2.512,49

2.526,31

2.535,40

2.550,36

2560,8165

2.571,83

2.577,23

 

Var%mês

0,17

0,35

0,75

0,55

0,36

0,59

0,41

0,43

0,21

 

Var%a.a.

3,59

3,95

4,73

5,31

5,69

0,59

1,02

1,44

1,65

 

Var%12m

6,02

6,04

6,36

6,22

5,69

338,083

5,51

5,32

4,63

IGP-M

Índices

333,474

331,69

333,6940

335,0330

335,006

338,083

338,1280

337,339

335,921

 

Var%mês

-0,65

-0,18

0,60

0,40

-0,01

0,92

0,01

-0,23

-0,42

 

Var%a.a.

0,75

0,19

0,81

1,22

1,21

0,92

0,93

0,70

0,27

 

Var%12m

3,43

2,17

2,38

1,96

1,21

1,17

1,45

0,36

-0,92

INPC

Índices

2.541,66

2.545,47

2.560,23

2.574,05

2.584,35

2,,594,17

2600,13

2.607,16

2.610

-

Var%mês

0,00

0,15

0,58

0,54

0,40

0,38

0,23

0,27

0,12

-

Var%a.a.

3,31

3,47

4,07

4,63

5,05

0,38

0,61

0,88

1,00

 

Var%12m

5,01

4,99

5,42

5,42

5,05

4,85

4,63

4,15

3,34

 

  Índices

Maio/06

Junho/06

Julho/06

Agosto/06

Setembro/06

Outubro/06

Novembrro/06

Dezembro/06

Janeiro/07

Fevereiro/07

INCC-DI

3344,867

337,892

339,484

340,283

340,670’

341.369

342,1590

343,401

344,943

345,682

Var%mês

1,32

0,90

0,47

0,24

0,11

0,21

0,23

0,36

0,45

0,21

Var%a.a.

2,43

3,36

3,84

4,09

4,21

4,42

4,66

5,04

0,45

0,66

Var%12m

4,47

5,42

5,00

5,23

5,09

5,11

5,05

5,04

5,15

5,18

CUB/PA/99

707,54

708,54

710,44

725,13

746,06

737,37

765,97

761,34

772,07

770,21

Var%mês

0,19

0,14

0,27

2,07

2,89

-1,16

3,88

-0,06

1,41

-0,25

Var%a.a.

3,37

3,51

3,79

5,94

8,99

7,72

11,77

11,23

1,41

1,16

Var%12m

9,62

9,17

8,44

9,85

9,97

7,83

11,83

11,23

12,14

9,92

IPCA

2579,81

2.574,39

2.579,28

2.580,57

2.585,99

2.594,52

2.602,56

2.615,05

2.626,56

2.638,12

Var%mês

0,10

-0,21

0,19

0,05

0,21

0,33

0,29

0,48

0,44

0,44

Var%a.a.

1,75

1,.54

1,73

1,78

2,00

2,33

2,65

3,14

0,44

0,88

Var%12m

4,23

4,03

3,97

3,84

3,70

3,26

3,02

3,14

2,98

3,02

IGP-M

337,185

339,712

340,312

341,574

342,5610

344,155

346,746

347,842

349,593

350,524

Var%mês

0,38

0,75

0,18

0,37

0,29

0,47

0,75

0,32

0,50

0,26

Var%a.a.

0,65

1,40

1,58

1,96

2,26

2,73

3,50

3,83

0,50

0,77

Var%12m

-0,33

0,86

1,39

2,43

3,28

3,13

3,50

3,83

3,67

3,66

INPC

2613,68

2.611,85

2.614,72

2.614,20

2.618,380

2.629,64

2.640,68

2.657,05

2.670,07

2.681,28

Var%mês

0,13

-0,07

0,11

-0,02

0,16

0,43

0,42

0,62

0,49

0,42

Var%a.a.

1,13

1,06

1,18

1,16

1,32

1,75

2,18

2,81

0,49

0,91

Var%12m

2,75

2,78

2,87

2,85

2,86

2,71

2,59

2,81

2,93

3,12

 Fontes: FGV; IBGE e SINDUSCON-PA.
Elaboração: Assessoria Econômica do SINDUSCON-PA.

2. CUB/M2:

A partir de fevereiro entrou em vigor a NBR 12721/06 que estabeleceu mudanças nos projetos –padrão que servem de referência para o cálculo dos custos unitários básicos da construção. A mudança já esta ocorrendo  em todo o país. Ou seja a partir de fevereiro, os CUBs estão trazendo como referências novas cestas de insumos e mão de obra. Nos últimos anos, o setor da construção assistiu a introdução de novas tecnologias e de novos materiais. Nesse período, ocorreu expressiva evolução do processo construtivo e enorme esforço do setor por uma maior produtividade, com reflexos em seus coeficientes técnicos. Assim a mudança vai trazer mais aderência dos CUBs aos custos incorridos pelas construtoras e permitirá um acompanhamento mais acurado da evolução desses custos. Como os CUB são muito utilizados como indexadores e para não ocorrer descontinuidade o Sindicato da Industria da Construção do Estado do Pará, inicia a  partir deste Boletim a divulgação , durante 4 meses, do CUB Belém, de acordo com a nova norma e também a variação do CUB com base  na norma 12.721/99, CUB/99. Abaixo o CUB de Belém, calculado pelo SINDUSCON-Pa.

Os valores abaixo se referem aos Custos Unitários Básicos de Construção (CUB/m²), calculados de acordo com a Lei Fed. nº. 4.591, de 16/12/64 e com a Norma Técnica NBR 12.721:2006 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e são correspondentes ao mês de FEVEREIRO DE 2007.
"Estes custos unitários foram calculados conforme disposto na ABNT NBR 12.721:2006, com base em novos projetos, novos memoriais descritivos e novos critérios de ornamentação e, portanto, constituem nova série histórica de custos unitários, não comparáveis com a anterior, com a designação de CUB/2006".
"Na formação destes custos unitários básicos não foram considerados os seguintes itens, que devem ser levados em conta na determinação dos preços por metro quadrado de construção, de acordo com o estabelecido no projeto e especificações correspondentes a cada caso particular: fundações, submuramentos, paredes-diafragma, tirantes, rebaixamento de lençol freático; elevador (es); equipamentos e instalações, tais como: fogões, aquecedores, bombas de recalque, incineração, ar-condicionado, calefação, ventilação e exaustão, outros; playground (quando não classificado como área construída); obras e serviços complementares; urbanização, recreação (piscinas, campos de esporte), ajardinamento, instalação e regulamentação do condomínio; e outros serviços (que devem ser discriminados no Anexo A - quadro III); impostos, taxas e emolumentos cartoriais, projetos: projetos arquitetônicos, projeto estrutural, projeto de instalação, projetos especiais; remuneração do construtor; remuneração do incorporador."

PROJETOS - PADRÃO RESIDENCIAIS

PADRÃO BAIXO

R-1

658,02

PP-4

609,67

R-8

578,32

PIS

421,05

PADRÃO NORMAL

R-1

770,48

PP-4

737,43

R-8

639,14

R-16

623,67

PADRÃO ALTO

R-1

977,12

R-8

791,84

R-16

837,97

 

PROJETOS - PADRÃO COMERCIAIS
CAL (Comercial Andares Livres) e CSL (Comercial Salas e Lojas)

PADRÃO NORMAL

CAL - 8

749,31

CSL - 8

632,70

CSL - 16 

848,16

PADRÃO ALTO

CAL - 8

812,61

CSL - 8

699,36

CSL - 16

936,22

 

PROJETOS - PADRÃO GALPÃO INDUSTRIAL (GI) E RESIDÊNCIA POPULAR (RP1Q)

PROJETO

RP1Q

595,49

GI

342,67

 

ABNT 12.721 / 99

CUB Fevereiro / 2007

% em Relação a janeiro / 2007

% em Relação a Fevereiro / 2006

R$ 770,21

-0,24

9,92

Quadro2

Evolução Comparativa CUB NBR 12721/99x INCC-DI

Mês / Ano

CUB / R$

Var. Mensal%

Var. Anual %

INCC – Var. Mês

INCC – Var. Ano

Janeiro / 05

643,78

1,74

1,74

0,75

0,75

Fevereiro / 05

646,08

0,36

2,13

0,44

1,20

Março / 05

649,59

0,54

2,69

0,67

1,88

Abril / 05

652,79

0,49

3,19

0,72

2,62

Maio / 05

645,46

-0,12

2,04

2,09

4,76

Junho / 05

649,03

0,55

2,60

0,76

5,56

Julho / 05

655,15

0,94

3,57

0,11

5,67

Agosto / 05

660,08

0,75

4,35

0,02

5,69

Setembro / 05

678,40

2,78

7,24

0,24

5,94

Outubro / 05

683,84

0,80

6,10

0,19

6,15

Novembro / 05

684,14

0,04

8,15

0,28

6,45

Dezembro

684,50

0,05

8,21

0,37

6,84

Janeiro / 06

688,48

0,58

0,58

0,34

0,34

Fevereiro / 06

700,68

1,77

2,26

0,19

0,53

Março/06

701,17

0,07

2,44

0,20

0,74

Abril/06

706,75

0,80

3,25

0,36

1,10

Maio/06

707,54

0,19

3,37

1,32

2,43

Junho/06

708,54

0,14

3,51

0,90

3,36

Julho06

710,44

0,27

3,79

0,47

3,84

Agosto/06

725,13

2,07

5,94

0,24

4,09

Setembro/06

746,06

2,89

8,99

0,11

4,21

Outubro/06

737,37

-1,16

7,72

0,21

4,42

Novembro/06

765,97

3,88

7,72

11,77

4,66

Dezembro/06

761,34

-0,06

11,23

4,66

5,04

Janeiro/07

772,07

1,41

1,41

0,45

0,45

Fevereiro/07

770,21

-0,25

1,16

0,21

0,66

Fontes: SINDUSCON-PA e FGV

3. Nível de Atividades: Emprego Formal

No acumulado do ano de 2006 o saldo do emprego formal (admissão-desligamentos) cresceu 16,9 em relação ao ano de 2005. Em nível setorial, algumas  setores tiveram desempenho negativo Construção Civil, Comércio, Serviços, Administração pública e Agropecuária, enquanto que outros setores tiveram crescimento positivo, Extrativa Mineral, Industria de Transformação e Serviços de Utilidade Pública.
No caso especifico da Construção Civil, a redução acentuada do saldo de emprego formal de 2005 para 2006, reflete a perda de dinamismo do mercado nos últimos meses do ano em função de uma desaceleração do ritmo de obras públicas no final do período eleitoral.

 

 Quadro 3
Estado do Pará
Evolução dos saldos de Emprego Formal
Ano de 2006 até Dezembro

 

Setores

Dezembro/06

Dezembro/05

%(A/B)

Total

20.806

17.797

16,9

Extrativa Mineral

1.846

796

164,2

Industria de Transformação

3.561

(1.032)

359,3

Serviços de U. Pública

804

16

720,0

Construção Civil

1.641

3.080

(372,10)

Comércio

7.277

7.350

(4,46)

Serviços 

6.946

7.287

 

Administração Pública

(212)

58

(170)

Agropecuária

(447)

241

(312,0)

 

 

 

 

Fonte: M T E/ CAGED